Mergulhe em busca da pérola negra perfeita no Tahiti

Você é um apaixonado por mergulhos? Então, que tal mergulhar e ainda procurar por pérolas negras perfeitas em uma das 35 ilhas diferentes e 83 atóis localizados na Polinésia Francesa? E ainda procurar pela famosa e rara pérola negra?!

  
  
O Tahiti fica no sul do Oceano Pacífico e formado por dezenas de ilhas e ilhotas que encantaram o mundo por suas águas transparentes

Você é um apaixonado por mergulhos? Então, que tal mergulhar e ainda procurar por pérolas negras perfeitas em uma das 35 ilhas diferentes e 83 atóis localizados na Polinésia Francesa?

O Tahiti fica no sul do Oceano Pacífico e formado por dezenas de ilhas e ilhotas que encantaram o mundo por suas águas transparentes e suas praias de areias brancas. Porém, o sucesso do local chamou a atenção dos mergulhadores, pois com a transparência da água, que chega a quase 100%, é possível deslumbrar-se com a enorme diversidade da vida marinha da região com grande facilidade.

Ir em busca da pérola negra perfeita, a valiosa jóia da Polinésia francesa, é entrar num paraíso de águas cristalinas onde o ancorou o navio “Bounty”. Aqui, a tripulação do navio descobriu praias repletas de palmeiras, um clima sempre quente e comida exótica, revoltando-se quando foi forçada a partir. Atualmente, pouco mudou – mas os visitantes podem buscar o seu próprio tesouro.

A exportação mais importante da ilha do Tahiti são as pérolas negras cultivadas em viveiros e levam mais de cinco anos para crescer. Embora sejam descritas como sendo negras, observadas de perto são na realidade iridescentes, com as tonalidades de verde e roxo das penas do pavão. É esta variedade na coloração das pérolas que as torna únicas e um prêmio tão requisitado. A busca pela pérola negra perfeita – não há duas iguais – pode levá-lo a 35 ilhas diferentes e 83 atóis, localizados no meio da imensidão das águas do Sul do Pacífico.

A intacta ilha de Manihi, que faz parte do arquipélago de Tuamotu e que está situada a duas horas de voo a nordeste do Tahiti, é apenas uma das ilhas onde você pode se refugiar. Uma corrente de ilhotas que rodeia uma lagoa com 60 km de comprimento e 30 km de largura, é em todo o sentido o paraíso de areia branca e palmeiras que qualquer um sonha. Lá é o local ideal para a sua busca! Esta ilha reivindica também ser o lar original da mundialmente famosa pérola negra – foi aqui que em 1965 foi montado o primeiro viveiro de ostras pretas, exclusivas da Polinésia Francesa.

Você é um apaixonado por mergulhos? Então, que tal mergulhar e ainda procurar por pérolas negras perfeitas

Parte do prazer da busca é o fato de esta envolver muito mais do que uma simples ida a uma ourivesaria. Compreender como se formam as pérolas e descobrir o seu processo evolutivo oferece uma visão de uma cultura talhada pelo mar. Para apreciar a experiência é necessário alguma exploração e só o trajeto até algumas das ilhas das “pérolas negras” em pequenos aviões e de barco implica uma nova aventura.

Manihi não é exceção. Vistas do ar, as suas ilhotas têm a aparência de um delicado colar de pérolas colocado numa almofada de veludo de tom azul profundo. À medida que se começa a descer e a terra toma forma distinguem-se pequenos aglomerados de bungalows anichados na lagoa interna – o local ideal para descontrair enquanto se está nos atóis.

A chegada a Manahi será uma experiência de viagem pouco convencional. Os edifícios do aeroporto foram destruídos por um ciclone em 1996. Existe a pista de aterragem e um pequeno abrigo de madeira, com telhado em folhas de palmeiras, para fazer sombra aos passageiros que esperam. Quando desembarcar será levado por um carrinho de golfe até ao seu alojamento por uma estrada, como as de filmes, de coqueiros. Não se preocupe com a bagagem.

Manihi possui a maior concentração de viveiros de pérolas da Polinésia Francesa – existem mais de 60, que se dedicam a um meticuloso e lento processo. Uma visita lhe permite observar o que é necessário para cultivar apenas uma pérola. Insere-se um “núcleo” no saco de pérolas de uma ostra e é-lhe enxertado um pedaço de músculo dos lábios pretos de outra ostra. Este músculo cresce à volta do núcleo e transforma-se numa pérola, o excerto nem sempre é bem sucedido. Sabe-se que apenas 30% das ostras produzem pérolas e que apenas 10% destas possuem um padrão suficientemente elevado para serem vendidas. De uma colheita de 25000 ostras apenas 3% serão completamente redondas, aumentando substancialmente o seu valor.

Sabe-se que apenas 30% das ostras produzem pérolas e que apenas 10% destas possuem um padrão ideal para serem vendidas

Se quiser que a sua viagem esteja ainda mais repleta de aventura, vá para o noroeste do Tahiti, mais exatamente para a ilha Tahaa, detentora de um verde luxuriante também conhecida como a “Ilha da Baunilha”. Aqui, pode fazer-se ao mar e visitar os viveiros das redondezas a bordo de uma canoa tradicional. Estas canoas, muito comuns na Polinésia Francesa, são utilizadas para o serviço de quartos nas estâncias, entregando o pequeno-almoço diretamente à porta dos bungalows sobre a água. A tentação de comprar neste ambiente tão maravilhoso e natural pode ser irresistível – tornado a sua busca de pérolas mais um sonho maior ainda.

Se você tiver a sorte de encontrar uma delas, quem saiba não consiga vendê-la e quitar boa parte da viagem?! É mergulhar e apostar...

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em