Proteja as crianças da inflamação no ouvido

Durante o período de férias e verão, especialistas em Saúde recomendam alguns cuidados especiais para impedir a ocorrência de otite em crianças

  
  
Criança deve usar protetor auricular antes de brincar na praia e piscina, recomenda o especialista

Levantamento do Hospital Estadual Cândido Fontoura, especializado em atendimento pediátrico, indica que entre janeiro e março de 2011 seu setor de pronto atendimento (PA) recebeu cerca de 500 casos de criança com otite.

O contato com as águas do mar e de piscinas favorece a ocorrência de otites. Em 2011, do total de 110 mil atendimentos no PA do Cândido Fontoura, 3% foi em razão dessas inflamações. A otite média aguda é uma doença causada por vírus e bactérias e pode ocorrer em qualquer idade, mas a prevalência é maior nas crianças, principalmente entre os seis e 36 meses, com pico também entre quatro e sete anos de idade. Crianças menores de cinco anos podem ter até 14 episódios de otite por ano, consequência de infecções das vias aéreas superiores.

“A otite média aguda é bastante comum no inverno por conta do tempo ser propício ao aparecimento de resfriados, mas temos observado que no verão, em função da frequência de banhos de
mar e piscina, o problema acaba afetando bastante as crianças, porque ficam mais tempo em contato com a água. O ideal seria
que usassem protetor auricular antes de brincarem nas praias e piscinas e, mesmo assim, os pais devem atentar à higienização
nasal e do ouvido de seus filhos após os banhos”, alerta a pediatra Aya Lucia Petri, do Cândido Fontoura.

Protetor auricular – Em geral, os sintomas da otite são dor de ouvido muito forte, diminuição da audição, febre, falta de apetite e secreção local. A otite, se não tratada devidamente, pode levar a infecções generalizadas e até mesmo à perda da audição. O diagnóstico médico baseia-se na verificação dos sintomas e no exame do ouvido com aparelhos específicos.

Outra forma de proteger o bebê é imunizá-lo contra infecções menores, entre elas a otite média. São importantes as vacinas contra o Haemophilus influenza e contra o Streptococcus pneumoniae. A primeira protege de pneumonia e meningite e deve ser tomada quando o recém-nascido completar dois meses, quatro e seis meses.

A segunda imuniza contra pneumonia e meningite, é oferecida aos três, cinco, sete meses e o reforço deve ser dado quando a criança completar um ano e três meses. As duas são gratuitas nos postos de saúde, de acordo com a definição do Ministério da
Saúde.

Evitar aglomerações, realizar higiene nasal com frequência e usar protetor auricular quando estiver em contato com a água do mar e de piscinas são meios eficientes para a prevenção das otites.

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em