A viabilidade do turismo sustentável

Só há sustentabilidade quando o objetivo comercial é acompanhado pelo respeito pelo meio ambiente, cultura e pelo desenvolvimento das comunidades locais, uma vez que perdidas estas características também é perdido o atrativo daquele dest

  
  

A pedido da Assembléia das Nações Unidas, em 1983, a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e desenvolvimento elaborou um relatório denominado “Nosso futuro Comum”, publicado em 1987, definindo que o crescimento econômico, a equidade social e o equilíbrio ecológico são vertentes do desenvolvimento sustentável.

Tendo isto em mente alcança-se o turismo sustentável como conceito, especialmente quando os destinos são pontos que possuem como destaque suas belezas naturais. Só há sustentabilidade, neste caso, quando o objetivo comercial é acompanhado pelo respeito pelo meio ambiente, cultura e pelo desenvolvimento das comunidades locais, uma vez que perdidas estas características também é perdido o atrativo daquele destino.

A Organização Mundial do Turismo – OMT – prevê 14 milhões de turistas estrangeiros para o Brasil em 2020 e só internamente são cerca de 60 milhões de brasileiros deslocando-se pelo território nacional – público considerável a qualquer ramo de negócio.

No entanto, esta conquista depende não somente das agências e operadoras de turismo, mas de todos os segmentos da economia para a minimização dos impactos ambientais gerados pelo turismo e sem comprometer a lucratividade das empresas – dentre estas as que englobam o universo que mais gera emprego e renda no Brasil: as micro, pequenas e médias empresas.

Segundo o diretor técnico do Sebrae-SP, Paulo Arruda, a entidade garante total apoio ao turismo no Estado de São Paulo, especialmente como setor que está ligado às micro e pequenas. “O turismo envolve uma vasta cadeia, como comércio, prestação de serviços, setores onde estão concentradas a maioria das micro e pequenas empresas. Trabalhar com turismo gera emprego, renda e desenvolvimento, por isso é uma de nossas estratégias”, afirma.

Podemos identificar alguns exemplos no mercado de empresas conceituadas que já fazem do turismo sustentável um produto viável, que apóiam ações sociais e de desenvolvimento às comunidades locais.

Em parceria com o Florestas do Futuro da Fundação SOS Mata Atlântica, a Freeway igualmente incentiva seus passageiros a tomarem parte da ação, contribuindo diretamente no site do projeto.

A Ambiental Expedições tem um projeto conjunto com a Fundação SOS Mata Atlântica – o “Viagem Limpa e Consciente”. Para determinados destinos o passageiro é convidado a plantar uma árvore, suficiente para neutralizar todo o carbono emitido em sua viagem aérea e terrestre.

Ainda que de grande importância, nota-se que ainda há espaço – e necessidade – de mais empresas engajadas, ainda que seja reduzindo a quantidade de papel utilizada no dia a dia.

FONTES
Revista Incorporativa

Sebrae/SP
Ministério do Turismo
www.ambiental.tur.br
www.freeway.tur.br

  
  

Publicado por em

Alessandra

Alessandra

26/05/2010 09:18:39
Super Interessante!

Ana Maria Oliveira Araujo da Silva

Ana Maria Oliveira Araujo da Silva

21/03/2010 17:36:04
São muitos os questionamentos a respeito do desenvolvimento e sustentabilidade,mas é necessário idealizar um modelo de desenvolvimento turistico com a preocupação com as gerações futuras, com os bens naturais esgotáveis, com a saúde do planeta,com a permanência do ser humano em seu Planeta Terra