Certificação em turismo sustentável beneficia empresas e comunidade

Qualificação e diferencial estão na pauta de prioridades de 34 pousadas e hotéis situados na região da Serra do Cipó e em Ouro Preto, distantes 100 quilômetros e 98, de Belo Horizonte, respectivamente, e ambas localizadas na região central de Minas Gerais

  
  

Qualificação e diferencial estão na pauta de prioridades de 34 pousadas e hotéis situados na região da Serra do Cipó e em Ouro Preto, distantes 100 quilômetros e 98, de Belo Horizonte, respectivamente, e ambas localizadas na região central de Minas Gerais. Essas pousadas, de pequeno porte, integram o `Programa Certificação em Turismo Sustentável - Meios de Hospedagem, desenvolvido pelo Sebrae, Instituto Estrada Real e Instituto de Hospitalidade (IH).

O Programa, que está em funcionamento na Serra do Cipó desde setembro e prestes a ser iniciado em Ouro Preto, oferece assistência técnica às empresas de hospedagem para que aprimorem seus serviços e obtenham a certificação em `Turismo Sustentável`.As ações têm como bússola a norma `Meios de hospedagem - requisitos para a sustentabilidade`, elaborada pelo IH.

De acordo com a norma, os gestores de hotéis e pousadas devem adotar práticas como interação e parceria com as comunidades locais, respeitando suas tradições socioculturais. Devem também implementar programas de eficiência energética e conservação de água.

Quanto à arquitetura, por exemplo, é importante que os empreendimentos sejam integrados à paisagem local, minimizando ao máximo impactos ambientais durante a construção, e valorizando o uso de plantas nativas.

A adequação à norma possibilitará às empresas participantes buscarem a certificação, cujas regras foram desenvolvidas pelo próprio IH e Conselho Brasileiro de Turismo, por meio de um programa nacional que tem o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Sebrae Nacional.

O principal desafio do projeto junto aos empresários da Serra do Cipó e de Ouro Preto será conscientizá-los de que suas atividades podem ser economicamente viáveis, ambientalmente equilibradas, socialmente justas e politicamente corretas.

`Teremos como resultados o crescimento do negócio, a melhoria da gestão e, conseqüentemente, a maior visibilidade dos empreendimentos brasileiros no exterior`, explica Regina Faria, coordenadora de Planejamento e Desenvolvimento do Turismo na Estrada Real no Sebrae em Minas Gerais.

O Sebrae em Minas apóia o programa de certificação por meio do Projeto Turismo na Estrada Real, que prevê ações para estruturar a atividade turística nos municípios que fazem parte do roteiro. Para Regina, a certificação tem um significado muito importante, porque qualifica os destinos turísticos de Minas.

`Hoje, o turista está cada vez mais exigente com relação ao atendimento, por isso, é essencial que o empreendimento esteja certificado e com profissionais qualificados.`

Avanços

Henrique Michel, proprietário da Pousada Cipó Veraneio e presidente do Circuito Serra do Cipó, lembra que, antes do programa, somente dois empreendimentos eram formais.

`Agora, os 16 incluídos no projeto já legalizaram a situação`, diz. Ele garante que já percebe mudanças de comportamento no grupo.

`O empresário estava preocupado apenas em passar uma imagem positiva para o turista, porém, hoje, ele entende que ter práticas positivas é mais importante.`

Mesmo o projeto estando em fase inicial, Henrique Michel aponta transformações como o início de uma nova cultura de sustentabilidade, mais conscientização de gestão eficiente a longo prazo e reconhecimento por parte dos empresários sobre a importância do associativismo.

`Acho que todos os envolvidos não estão preocupados apenas com a melhoria dos serviços que oferecem e o desenvolvimento do negócio, mas também com a natureza. Percebo que todos querem praticar a coleta seletiva, aproveitar melhor a energia e a água, preservar o meio ambiente e conscientizar os funcionários para que os ajudem nesses esforços`, completa José Eustáquio Miranda, proprietário da Pousada Chão da Serra e presidente da Associação Comercial da Serra do Cipó.

Todos saem lucrando

O Programa Certificação em Turismo Sustentável - Meios de Hospedagem atenderá pequenos e médios meios de hospedagem, podendo participar somente empreendimentos que tenham até 50 unidades habitacionais (UH). A previsão é que o trabalho mobilize cerca de 400 meios de hospedagem em todo o Brasil, sendo 80 só em Minas Gerais e todos na Estrada Real.

No escopo do Programa Estrada Real, desenvolvido pelo Sebrae em Minas e instituições parceiras, constam também a capacitação e a certificação dos profissionais de turismo, o que possibilita a inserção social deles no mercado de trabalho e a melhoria dos serviços prestados no setor. Esse processo deverá gerar o aumento da competitividade e a lucratividade da empresa, beneficiando não só o empresário, mas também a comunidade.

Fonte: Sebrae

  
  

Publicado por em