Novo tanque do Aquário de Santos mostra ecossistema da região

Varal às costas em busca de uns trocados, os vendedores de caranguejos à beira das estradas são a prova patente do ecossistema dominante na Baixada Santista

  
  
Uçá, espécie de caranguejo

Varal às costas em busca de uns trocados, os vendedores de caranguejos à beira das estradas são a prova patente do ecossistema dominante na Baixada Santista. E é justamente este cenário típico da região que o Aquário de Santos começa a mostrar com o recém-construído Tanque do Mangue, o 30º do equipamento.

Ali, troncos e raízes aéreas, onde se abrigam 15 caranguejos-uçás, surgem em meio a um piso parcialmente seco, como na natureza. “A cidade está encravada em áreas de mangue”, comentam os biólogos do parque, explicando que, para esse ambiente ser fiel, há espaços secos e outros com água. Medindo 5m X 1m, por apresentar dois ambientes ele acondiciona apenas 500 litros de água.

Com o novo terrário, o Aquário de Santos passa a apresentar um total de 30 tanques, com capacidades que variam entre 500 e 300 mil litros de água salgada. Os maiores são o do leão-marinho e o oceânico, que exibe peixes de grande porte.

Caranguejo não é peixe

O uçá é uma das espécies mais encontradas nos manguezais. Tem patas carnudas, peludas e arroxeadas, e, assim como os demais caranguejos, possui cinco pares de patas articuladas, sendo o primeiro bem desenvolvido e terminado em pinças, que o auxiliam na alimentação, defesa e atração da fêmea. O crustáceo vive em tocas cavadas em meio ao lamaçal dos mangues. Na maré alta, fica na toca e, na baixa, sai em busca de alimento.

Fonte: Secretaria de Cultura de Santos

  
  

Publicado por em