Organização sustentável atrai investidores

O público que assistiu à apresentação do Prêmio Cidadania S.A. conheceu na prática como a gestão socialmente responsável traz lucros e reconhecimento às empresas. O superintendente de opera&cce

  
  

O público que assistiu à apresentação do Prêmio Cidadania S.A. conheceu na prática como a gestão socialmente responsável traz lucros e reconhecimento às empresas. O superintendente de operações da Bolsa de Valores de São Paulo, Ricardo Nogueira, mostrou à platéia de empresários e executivos que as ações de companhias que têm uma atuação sustentável são valorizadas na Bovespa e têm a preferência dos cobiçados investidores institucionais e estrangeiros.

Desde dezembro de 2005, a Bolsa de São Paulo negocia uma carteira de ações de companhias sustentáveis e comprometidas com a responsabilidade social. Elas compõem o Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE. "A atual carteira do ISE reúne 43 ações emitidas por 34 empresas de 14 setores, que totalizam R$ 700,7 bilhões em valor de mercado", informa Ricardo Nogueira. Para se ter uma idéia da importância do índice, esse montante corresponde a 48,5 % da capitalização total da Bovespa, que atualmente é de R$ 1,4 trilhão.

A situação não é diferente em outros países. Enquanto o Dow Jones Sustainability Index – índice que congrega ações de 318 empresas sustentáveis de 23 países que negociam seus ativos na Bolsa de Nova Iorque – subiu 286% entre dezembro de 1993 a abril de 2007, o índice geral da bolsa, o Dow Jones, teve uma elevação de 170% no mesmo período. "Isso significa que as ações das empresas sustentáveis tiveram uma valorização 116% superior às demais", compara Nogueira.

Os conceitos usados para a criação do ISE, de acordo com o superintendente de operação da Bovespa são parecidos com os adotados pelo Prêmio Cidadania. A começar pelo objetivo do indicador: "a intenção é valorizar as empresas que adotaram práticas de sustentabilidade e induzir as demais a melhorar o seu desempenho para entrar no índice", justifica Nogueira.

Outra semelhança é verificada na forma como o ISE avalia o comprometimento das empresas com a sustentabilidade corporativa. A avaliação é baseada no conceito conhecido como Triple Botton Line (TBL) que analisa a atuação empresarial nas áreas econômica, social e ambiental. "Verificamos se a empresa é rentável, pois se não for lucrativa, ela não será sustentável. Depois avaliamos sua relação com a comunidade, com seus trabalhadores, fornecedores, consumidores e com o meio ambiente", explica o executivo da Bovespa. Aos conceitos do TBL foi incorporado o indicador de governança corporativa, que avalia o respeito do administrador da empresa em relação aos acionistas minoritários.

A partir da análise dessas variantes é possível dimensionar se a companhia tem sustentabilidade a longo prazo. "São empresas que apresentam chance maior de existirem daqui há dez anos, por exemplo", explica Nogueira. "Seus ativos são ideais para os investidores que não buscam rentabilidade apenas no curto prazo, como os que planejam a aposentadoria, a compra de um imóvel ou o estudos dos filhos", exemplifica o executivo. A carteira do ISE também conquistou o investidor institucional e o estrangeiro. Este último, segundo Nogueira, não tem condições de analisar o desempenho das ações de empresas de todo o mundo, por isso os ativos do ISE são uma maneira prática de escolher papéis de companhias com liquidez e sustentabilidade.

Para selecionar os participantes da carteira do ISE, um questionário foi enviado às 120 companhias emissoras das 150 ações mais líquidas da Bovespa. As questões abordavam o desempenho econômico, a governança corporativa e a atuação nas áreas social e ambiental. Das 60 empresas que responderam ao questionário, 34 foram selecionadas.

Fonte: JC OnLine

  
  

Publicado por em