Sustentabilidade é a referência para o turismo

A sustentabilidade ambiental ganha importância no dia-a-dia de todos os cidadãos. Está presente no estilo de vida, no modo como se produz, gasta e se lida com os resíduos e no turismo não é diferente

  
  

A sustentabilidade ambiental ganha importância no dia-a-dia de todos os cidadãos. Está presente no estilo de vida, no modo como se produz, gasta e se lida com os resíduos. No turismo, não é diferente. Com o crescimento da conscientização entre aqueles que saem de casa para viajar e relaxar, empresários e profissionais da cadeia produtiva do setor estão se especializando para oferecer condições que criem uma viagem divertida e ao mesmo sustentável.

A empresária Vanessa Marino é um exemplo. Amante da natureza e dos ecossistemas amazônicos, ela emprega a ideia de sustentabilidade no dia-a-dia da Tropical Tree Climbing (TTC), diretriz da Tree Climbers International, pioneira do setor de escalada recreativa no Brasil. A empresa leva grupos turísticos para uma experiência de lazer e conscientização, em uma espécie de expedição na natureza. Ela conta o início do projeto.

“Tudo começou quando meu marido fotografava orquídeas na Amazônia para um de seus trabalhos. Para um conseguir fotografar as flores das copas das árvores, ele teve aulas de escalada com um major do exército brasileiro. Daí, em 2006, surgiu a ideia de juntar a escalada com o turismo”, afirma.

Além de um complexo estudo das árvores, a empresa tem um projeto de compensação de carbono. É cobrada uma taxa extra, referente a toda poluição gerada pelo deslocamento dos turistas e pela permanência no hotel – como o uso do ar-condicionado. O valor é investido em escolas, comunidades próximas, projetos sociais e de conservação. Além disso, os copos são de vidro e os talheres de aço inoxidável. Informações e registros são eletrônicos, para evitar o gasto de papel.

Outras práticas são adotadas, como a produção de adubo orgânico na própria cozinha da empresa e o uso de lâmpadas de baixo consumo e de janelas para o recebimento de luz natural.

Segundo a empresária, o conceito de sustentabilidade tem crescido de forma rápida e positiva. “Para conseguirmos atender a demanda tivemos que contratar mais profissionais oferecer especialização aos nossos guias. Hoje temos equipe para atender em Português, Espanhol, Inglês, Italiano e Francês.” As áreas mais freqüentadas nos roteiros são: Acajatuba, Ariaú, Parque Nacional Jaú, Anavilhanas e Presidente Figueiredo, integrantes da região da Floresta Amazônica. “O turistas hoje em dia tem buscado o simples com bom gosto. O futuro é este: compromisso ético com ideias sustentáveis”, afirma ela.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em