Turismo de Gonçalves também cresce com mudança de modelo agrícola

Cerca de 500 pessoas visitam todos os sábados a feira promovida pelos agricultores do município.

  
  

O cultivo de alimentos orgânicos em Gonçalves, no sul de Minas Gerais, não impulsiona apenas a agricultura local, mas também o turismo. Atraídas por frutas, verduras e legumes produzidos sem agrotóxicos ou aditivos químicos, cerca de 500 pessoas visitam todos os sábados a feira promovida pelos agricultores do município.

Grande parte dos visitantes sai da Grande São Paulo, a cerca de 200 quilômetros de Gonçalves. Eles aproveitam para subir a Serra da Mantiqueira e desfrutar das cachoeiras e outras atrações do município mineiro. Dos morros, a vista é panorâmica. Dos vales, é possível apreciar a serra coberta de vegetação.

“Muita gente que está aqui vem de São Paulo para comprar. Passa o fim de semana e leva a feira para casa”, conta Carla Beschizza, sócia e administradora da Orgânicos da Mantiqueira – empresa responsável pela comercialização dos alimentos orgânicos produzidos na cidade.

Alguns visitantes gostam tanto do lugar que acabam indo morar em casas no meio do vale, que se avistam do alto da estrada. Esse foi o caso da empresária Fernanda Kurebayashi, que há sete anos mudou-se de São Paulo para Gonçalves, cidade com cerca de 5 mil habitantes.

Ex-bancária, Fernanda gostou da qualidade de vida do município e começou a fazer planos de viver no lugar. Ela conta que pesquisou sobre o que poderia fazer para viver na cidade e optou pela produção de geleias artesanais.

Atualmente, a loja de Fernanda vende geleias exóticas para os estados do Amazonas e de Santa Catarina e exporta para a França e a Alemanha. Um dos produtos é a geleia de tamarillo, um tipo de tomate silvestre. Tudo é feito com açúcar orgânico e com frutas colhidas na região e cultivadas sem defensivos agrícolas.

Fernanda acredita no potencial turístico das belezas da Serra da Mantiqueira combinado com o apelo ecológico e saudável da alimentação orgânica. “O sonho de alguns proprietários e empresários de Gonçalves é transformar a cidade em um polo orgânico.”

Em agosto, a empresária participou do 5º Inverno Orgânico, evento realizado anualmente, com o objetivo de difundir a cultura da alimentação orgânica, unindo a oferta de opções gastronômicas a apresentações musicais e oficinas de culinária. O festival é uma iniciativa da Orgânicos da Mantiqueira apoiada por restaurantes e pousadas da região.

“O [alimento] orgânico é um canal bom de turismo”, diz Carla Beschizza, que reclama da falta de apoio da prefeitura. Segundo ela, com essa ajuda seria possível tornar o evento mais conhecido e atrair mais visitantes “Na verdade, falta mão de obra, infraestrutura e apoio da prefeitura. Se a prefeitura apoiasse, dava para fazer um superevento.”

O prefeito Luiz Rosa da Silva explica, porém, que só não ajuda porque não tem condições. “O município não tem condições de dar tudo o que o povo precisa”, admite Rosa, embora reconheça que o turismo já tem importante papel na economia local. Nos últimos anos, o número de pousadas mais do que dobrou, passando de 13 para 30.

O chef Ricardo Andrade confirma a vocação turística do município. Sócio de um restaurante, ele diz que o turismo caminha a “passos largos” na cidade, apesar de ainda estar longe de ser um grande polo de visitação. “É cedo ainda, muita gente está pela primeira vez na cidade.”

Ele ressalta que Gonçalves não está pronta para o turismo de massa, como municípios próximos, entre os quais Campos do Jordão. “Acho que também que turismo de massa não será o forte da cidade. Aqui o pessoal tem essa preocupação com meio ambiente, qualidade de vida. Gonçalves acaba atraindo um público mais com esse perfil.”

Fonte: Agência Brasil
Esta notícia está licenciada sob Licença Creative Commons de Atribuição 2.5

  
  

Publicado por em