Turismo em harmonia com o meio ambiente

Sistema de captação e tratamento de água de chuva permite que os empreendimentos da Ilha do Mel, no Paraná, enfrentem a falta de água doce para consumo

  
  
Vista da Ilha do Mel (PR)

Dona de grandes extensões de praias, morros, costões, manguezais, brejos litorâneos e restingas da mata atlântica, a Ilha do Mel é um dos principais atrativos turísticos do Paraná. Tanta beleza lhe rendeu o título de Reserva da Biosfera, concedido pela Unesco, o que representa um verdadeiro compromisso com a preservação do ecossistema.

Cientes do tesouro pelo qual são responsáveis, os próprios moradores da Ilha começaram a buscar alternativas voltadas para minimizar as ações do homem sobre o meio ambiente. Em 2007, o Colégio Arthur Miranda Ramos solicitou à Companhia de Água e Esgoto de Paranguá (Cagepar) que desenvolvesse um sistema de captação e reserva da água da chuva.

Mais tarde, o curso de Geografia do Instituto Superior do Litoral do Paraná (Isulpar) começou as pesquisas para elaboração do sistema e, em janeiro de 2010, a Cagepar, em parceria com o Instituto, iniciou as adaptações em hotéis e restaurantes da Ilha. A iniciativa rendeu aos parceiros do projeto a premiação de Melhores Práticas em Aspectos Ambientais do MTur.

Isso porque, mesmo com quilômetros de praias límpidas, a ilha possui a maior parte de sua água doce com altas concentrações de manganês e ferro, deixando-a imprópria para o consumo. Desse modo, o abastecimento era feito tão somente por um pequeno manancial e restaurantes e hotéis, eventualmente, ficavam sem água.

Atualmente, 14 estabelecimentos contam com a implantação física de reservatório e bomba de cloro, e até maio o número aumenta para 17. O sistema consiste em calhas que coletam água dos telhados e a encaminham para um filtro de brita. Lá, são retidas as folhas e possíveis impurezas e a água é encaminhada para o reservatório, onde é tratada e distribuída para usos não potáveis.

“Neste ano não houve falta d’agua nem reclamações, foi mais tranqüilo. Em relação aos outros anos teve uma melhora significativa, além da economia de água”, conta um dos pesquisadores do projeto, o professor Francisco Xavier da Silva de Souza. Segundo ele, além da reserva de água, todos os turistas que desembarcam na ilha são orientados sobre a adoção práticas de preservação ao meio ambiente durante sua estada. Assim, todos aproveitam as belezas da ilha e asseguram que ela seja desfrutada ainda por muito mais tempo.

Além da premiação Melhores Práticas em Aspectos Ambientais, o Paraná (por meio da cidade de Paranaguá) recebeu a premiação Melhores Práticas em Serviços e Equipamentos Turísticos.

Melhores Práticas
Por meio da I Chamada para a Premiação das Melhores Práticas dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, o MTur premiou 27 experiências consideradas modelos para o desenvolvimento do turismo no país.

Segundo a coordenadora-geral de Regionalização do MTur, Ana Clévia Guerreiro, a premiação visa estimular os 65 destinos a cumprirem efetivamente o papel de induzir o desenvolvimento da atividade turística em suas regiões. “O objetivo é que as práticas bem-sucedidas sejam multiplicadas por outros destinos turísticos brasileiros”, ressalta Guerreiro.

Os 240 projetos recebidos foram avaliados e selecionados conforme as 13 dimensões do Índice de Competitividade 2010: infraestrutura geral, acesso, serviços, equipamentos e atrativos turísticos, marketing e promoção e aspectos ambientais, sociais e culturais. As experiências premiadas foram divididas e analisadas entre capitais e não-capitais.

Para conhecer as melhores práticas, clique aqui.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em