Turismo Sustentável exige mudança de atitude, afirma Ariane Jáner

Os agentes de viagens tiveram uma verdadeira aula de Receptivo Doméstico na manhã do dia 23 de outubro, durante o 31º Congresso da ABAV. Ariane Jáner, diretora do Instituto de Hospitalidade, abriu falando sobre o Turismo Sustentável, uma nova tendência qu

  
  

Os agentes de viagens tiveram uma verdadeira aula de Receptivo Doméstico na manhã do dia 23 de outubro, durante o 31º Congresso da ABAV. Ariane Jáner, diretora do Instituto de Hospitalidade, abriu falando sobre o Turismo Sustentável, uma nova tendência que pode fazer diferença em pouco tempo.

Ariane Jáner destacou que para se alcançar o chamado turismo sustentável, não basta estabelecer metas, mas criar uma consciência que começa pelo envolvimento das autoridades governamentais, do empresariado e de toda a rede de pessoal envolvida com o atendimento aos turistas.

“Informações básicas das atrações turísticas não satisfazem mais ao turista. Ele quer o inusitado, o diferente - algo que agregue valor à própria experiência de vida”, destaca a diretora.

Lembrou ainda que, para o turismo ser sustentável, não pode representar aumento de preços. A viabilidade do negócio começa pelo diagnóstico dos pontos de desperdício.

“Para reduzir o consumo de água, conserta-se primeiramente os vazamentos. Depois é que se investe em sistemas de reaproveitamento”, analisou.

O segundo a falar foi Francisco de Calheiros, diretor da Associação de Turismo Rural de Portugal e presidente do grupo Solares de Portugal, instituição que incentiva a recuperação de residências familiares em regiões para receber turistas.

Ele apresentou soluções para a promoção e divulgação no mercado nacional de destinos ainda pouco explorados, como aqueles situados em regiões rurais e com apelo histórico.

Calheiros procurou dar exemplos de turismo sustentável. “Para nós, o principal turista é aquele que pernoita no local”, comentou, informando que há opção de residências rústicas e antigas.

Ele informou ainda que a instituição mantém convênio, no Brasil, com a Preservale, instituição da região do Vale do Paraíba que promoveu a revitalização das antigas fazendas de café e sua adaptação para hospedagem. O grupo Solares também tem parceira com associações similares de Minas Gerais e do Ceará.

Fonte: Capta Consult

  
  

Publicado por em